Outros Poluentes do ar

       Um outro poluente muito comum é: o formaldeído (H2C=O), que é considerado um dos mais importantes poluentes orgânicos, suas fontes são a fumaça de cigarros e certos plásticos sintéticos que contém resinas de formaldeído.
       Uma outra forma de poluição atmosférica é a presença de isótopos radioativos (radionuclídeos). O gás radônio é um radionuclídeo emissor de partículas alfa, possui duas cargas positivas que podem ionizar moléculas (gerando radicais livres extremamente reativos) e causar alterações no DNA dentro das células vivas. Vários tipos de leucemia e câncer de pulmão foram causados devido a estes radicais (Dilon et al, 1993).
       Na tabela abaixo pode-se observar as principais fontes naturais de contaminação atmosférica e as quantidades produzidas.

Contaminação de origem natural
CONTAMINANTE FONTE NATURAL QUANTIDADE
(milhões de ton)
Dióxido de Enxofre (SO2) Vulcões 6 a 12
Ácido sulfídrico (H2S) Vulcões e ações biológicas em pântanos 30 a 100
Monóxido de carbono (CO) Incêndios florestais 3000
Óxidos de Nitrogênio (NOx) Ações bacterianas em solos 60 a 270
Amoníaco (NH3) Decomposição biológica 100 a 200
Óxido Nitroso ( N2O) Ação biológica em solos 100 a 450
Hidrocarbonetos
(predominantemente metano)
Diversos processos biológicos 300 a 1600
Fonte: Revista Meio Ambiente Industrial, ano IV, ed 23, número 22, jan/fev de 2000.

          Na tabela a seguir encontra-se a classificação dos principais poluentes lançados pelo homem na atmosfera.
Fontes, características e efeitos dos principais poluentes na atmosfera
POLUENTE CARACTERÍSTICA FONTES PRINCIPAIS EFEITOS GERAIS SOBRE A SAÚDE
Partículas totais em suspensão (PTS) Partículas de material sólido ou líquido que ficam suspensas no ar na forma de poeira, neblina, aerossol, fumaça ou fuligem etc. Faixa de tamanho < 10 micra. Processos Industriais e veículos motorizados (exaustão), poeira de rua ressuspensa, queima de biomassa. Fontes naturais: pólen, aerossol marinho e solo. Quanto menor o tamanho da partícula, maior o efeito sobre a saúde. Causam efeitos significativos em pessoas com doenças pulmonares, asma e bronquite.
Partículas Inaláveis (MP10) e fumaça. Partículas de material sólido ou líquido que ficam suspensos no ar, na forma de poeira, neblina, aerossol, fumaça fuligem etc. Faixa de tamanho < que 10 micra. Processos de combustão (indústria e veículos automotores), aerossol secundário (formação na atmosfera). Aumento de atendimentos hospitalares e mortes prematuras.
Dióxido de Enxofre (SO2) Gás incolor, com forte odor, semelhante ao gás produzido na queima de palitos de fósforo. Pode ser transformado em SO3, que na presença de vapor de água, passa rapidamente a H2SO4. É um importante precursor dos sulfatos, um dos principais componentes das partículas inaláveis. Processos que utilizam queima de óleo combustível, refinaria de petróleo, veículos a diesel, polpa e papel. Desconforto na respiração, doenças respiratórias, agravamento de doenças respiratórias e cardiovasculares já existentes. Pessoas com asma, doenças crônicas de coração e pulmão são mais sensíveis ao SO2.
Dióxido de nitrogênio (NO2) Gás marrom avermelhado, com odor forte e muito irritante, pode levar a formação de ácido nítrico, nitratos (os quais contribuem para o aumento das partículas inaláveis na atmosfera) e compostos orgânicos tóxicos. Processos de combustão envolvendo veículos automotores, processos industriais, usinas térmicas que utilizam óleo ou gás, incinerações. Aumento da sensibilidade a asma e a bronquite, diminui a resistência às infecções respiratórias.
Monóxido de carbono (CO) Gás incolor, inodoro e insípido. Combustão incompleta em veículos automotores. Altos níveis de CO estão associados a prejuízos dos reflexos e da capacidade de estimar intervalos de tempo, ao aprendizado de trabalho e visual.
Ozônio (O3) Gás incolor e inodoro nas concentrações ambientais e o principal componente da névoa fotoquímica. Não é emitido diretamente na atmosfera. É produzido fotoquimicamente pela radiação solar sobre os óxidos de nitrogênio e compostos orgânicos voláteis. Irritação dos olhos e vias respiratórias, diminuição da capacidade pulmonar. Exposições a altas concentrações podem resultar em sensações de aperto no peito, tosse e chiado na respiração. O O3 tem sido associado ao aumento de admissões hospitalares.
Fonte: Revista Meio Ambiente Industrial, ano IV, ed 23, número 22, jan/fev de 2000.

          No contexto rural a poluição é causada pela agroindústria da cana e as queimadas realizadas nos campos de cultivo e em florestas. Já no contexto urbano industrial o agente poluidor pode ser fixo, são as refinarias, indústrias petroquímicas, siderúrgica, de papel e celulose, cimento e também pode ser móvel como é o caso dos veículos automotores (http://www.ecoambiental.com.br/mleft/ar.htm).

Início da página                          Voltar