Estrutura da Atmosfera Terrestre

       A composição do ar foi determinada com precisão, pelo menos nas proximidades do solo. Os seus constituintes mais importantes estão relacionados na tabela a seguir. Os dados representam a composição global da atmosfera terrestre, embora ocorram variações nas grandes altitudes.

Composição do ar limpo e seco (P = 1 atm)
Componentes Fração Molar
N2 0,7808
O2 0,2095
Ar 0,00934
CO2 0,00314
Ne 1,82x10-5
He 5,24x10-6
SO2 < 1,0x10-6
NH3 < 1,0x10-8
CO < 1,0x10-8
CH4 1,5X10-6
Kr 1,14x10-6
H2 5,0x10-7
NO 3,0x10-7
Xe 8,7x10-8
O3 1,5x10-6
(http://www.iagusp.usp.br/~ednilson/Atmosfera.html)

       A atmosfera terrestre tem como função proteger a Terra e suas formas de vida contra as radiações extremamente energéticas contidas no espaço cósmico. A atmosfera filtra a radiação UV (abaixo de 300 nm), função essencial na manutenção do balanço de calor na Terra. Apenas a radiação visível (400 - 750nm), infravermelha (750 - 2500nm) e parte da UV (300 a 400 nm) e as ondas do rádio (0,01 a 40 m) são absorvidas pela Terra.
       A atmosfera age como um condensador que transporta água dos oceanos aos continentes, por isso constitui-se em um componente fundamental do Ciclo Hidrológico. Nela também se dá o acúmulo dos gases (e de particulados) como por exemplo o CO2 e o O2.
       A pressão do ar diminui na medida em que se atinge as camadas superiores da atmosfera e vai caindo seu conteúdo de oxigênio, cuja densidade é maior que a do nitrogênio.

Zonas da Atmosfera

        De acordo com as variações da temperatura com a altitude definimos a estrutura das regiões da atmosfera. Clique na figura abaixo e veja as defiuniçãoes de cada zona.

troposfera estratosfera mesosfera termosfera

Clique em uma das regiões para maiores informações!!!!
As principais regiões da atmosfera (adaptada de Manahan, 1984 e Moore e Moore, 1976)

       A EXOSFERA é onde se produzem as belíssimas auroras boreais (http://www.geocities.com/kinren12000/zonas_da_atmosfera.htm). Essa camada fica a mais ou menos 900 km acima da Terra, enquanto que o nível superior é indefinido, mas admite-se que pode atingir até 30000 Km (http://www.dct.fct.unl.pt/GGeo/GG1978-2008.html#1978).
        Existe um constante escape de algumas moléculas de gás por ser o ar muito rarefeito composto apenas de 50% de hidrogênio e 50% de hélio. A inexistência de ar permite temperaturas superiores a 1000º C, razão pela qual as naves espaciais são construídas com materiais super resistentes (http://www.abordo.com.br/~lincoln/artigos.htm#exosf).
        Fala-se ainda em IONOSFERA, que fica 70 Km acima, onde os átomos absorvem a forte radiação solar, expelindo elétrons e se ionizando, daí o seu nome (http://www.defensoresdanatureza.com.br/biosfera/ecossistema/ecoatmosfer.html).
        A temperatura varia irregularmente entre as camadas da atmosfera e a pressão diminui de maneira contínua com o aumento da altitude (http://www.geocities.com/kinren12000/zonas_da_atmosfera.htm).
        É importante saber que a tropopausa (que separa a troposfera da estratosfera), pode variar mais de 1 km em um único dia; isso ocorre devido a fatores ligados à temperatura e natureza da camada inferior.

Composição da Atmosfera Terrestre

       A atmosfera representa 0,0001% da massa total da Terra e constitui-se por diversos componentes, dentre os quais destacamos: nitrogênio diatômico (N2) com 78%, o oxigênio diatômico (O2) com 21% e argônio (Ar) com 1%. Essa mistura apresenta-se não reativa na baixa atmosfera mesmo em temperaturas e intensidade solar muito além daquelas encontradas na superfície da Terra. É importante saber que independentemente do ar estar limpo ou não, podem ocorrer muitas reações ambientalmente importantes.
       Normalmente o ar possui de 1 a 3% de vapor de água em volume, partículas sólidas em suspensão, além de uma grande variedade de pequenas quantidades gases a níveis de 0,002%, inclusive neônio, hélio, metano, kriptônio, óxido nitroso, hidrogênio, xenônio, dióxido de enxofre, ozônio, dióxido de nitrogênio, amônia e monóxido de carbono (Manahan, 1997).
       O conteúdo de vapor de água da atmosfera é variável. O vapor condensa-se rapidamente sob as condições de temperaturas predominantes na superfície terrestre, de modo que sua concentração no ar depende da temperatura e da proximidade de massas líquidas, como os oceanos. Se a temperatura média da superfície terrestre fosse maior que a atual, os oceanos se evaporariam e a composição da atmosfera seria drasticamente alterada pela adição de uma grande quantidade de vapor de água. Por isso não podemos esquecer da massa oceânica quando consideramos a quantidade de vapor de água na composição da atmosfera (http://www.iagusp.usp.br/~ednilson/Atmosfera.html).

       Muitos dos componentes da atmosfera são de suma importância para a vida na Terra, são eles:

Início da página                          Voltar