botao inicio - para substituir logotipo                                       portugues   english                              canaiswebmailbusca

Bolsas para estudantes

Somando todas as modalidades, quase metade dos alunos de graduação da UENF recebe alguma bolsa ou auxílio

Ensino gratuito é fundamental, mas nem sempre suficiente para garantir o acesso e a permanência do estudante na universidade, principalmente dos que deixam suas cidades para estudar e se acomodam em repúblicas. Na UENF, os estudantes podem contar já na graduação com um cardápio de opções de bolsas e auxílios que por vezes são decisivos para levar o curso até o fim. Entre os 3,5 mil alunos de graduação da Universidade, 1,5 mil (ou 43%) recebem algum tipo de bolsa ou auxílio.

Há duas vertentes de oportunidades: uma baseada em critérios de carência socioeconômica, outra baseada em mérito acadêmico. Os alunos carentes têm duas possibilidades de auxílio: o auxílio a cotistas ou as bolsas de apoio acadêmico, ambos no valor de R$ 300 mensais. Já as bolsas baseadas em desempenho acadêmico são de várias modalidades: Iniciação Científica, Iniciação Tecnológica, Iniciação à Docência, Extensão e Monitoria.

A Lei de Cotas das universidades estaduais do Rio de Janeiro (Lei 5.346/2008) reserva 45% das vagas em cada curso da UENF para candidatos carentes que se enquadrem em certos perfis: 20% para negros ou indígenas, 20% para candidatos oriundos da rede pública de ensino e 5% para pessoas com deficiência ou filhos de policiais civis, militares, bombeiros militares e inspetores de segurança e administração penitenciária mortos ou incapacitados em razão do serviço. Em atendimento à mesma lei, quem ingressa por cotas tem direito a um auxílio durante toda a vigência do curso - pago com recursos do Fundo de Combate à Pobreza, atualmente no valor de R$ 300 por mês.

- Este auxílio se destina a permitir a manutenção do aluno enquanto estuda e não o impede de concorrer a bolsas focadas no desempenho – explica o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UENF, Paulo Nagipe.

Mas há alunos carentes que não ingressam pelas cotas, e também eles têm direito a oportunidades. Para solicitar uma 'bolsa de apoio acadêmico', no mesmo valor de R$ 300, o estudante deve passar por uma triagem no Serviço Social da UENF. Comprovando a carência, entra numa fila que em geral anda muito rápido. Nesta modalidade, o aluno se compromete a prestar apoio a atividades da Universidade em horários vagos de sua formação, num total de 12 horas semanais.

Já as bolsas baseadas em desempenho acadêmico são de R$ 420 mensais. Nas bolsas de Iniciação Científica o aluno se insere em um projeto de pesquisa da instituição, coordenado por um professor. Nas bolsas de Extensão ocorre o mesmo, sendo que o projeto envolve interação com a comunidade. Na Monitoria, o bolsista auxilia o professor em determinada disciplina, tirando dúvidas dos colegas.

Atualmente a UENF oferece cerca de 1 mil bolsas ou auxílios de fundo socioeconômico (734 auxílios-cota e 253 bolsas de apoio acadêmico) e algo em torno de 640 bolsas baseadas em desempenho e projetos (318 de Iniciação Científica, 155 de Extensão, 104 de Iniciação à Docência, 40 de Monitoria e 23 de Iniciação Tecnológica). Considerando os 63 alunos que acumulam auxílio-cota com alguma outra modalidade, cerca de 43% dos graduandos da UENF recebem algum tipo de bolsa ou auxílio.

Outras informações: Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários- O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. /22 27397008