25/09/17

logo-informativo.jpg-melhorado-PARA-PORTAL

Campos dos Goytacazes (RJ), segunda-feira, 25 de setembro de 2017. Nº 3.728

Pós-Graduação de alto nível

Avaliação Quadrienal da Capes mostra que, apesar da crise, Programas de Pós-Graduação da UENF continuam firmes em sua trajetória de crescimento

No momento em que a UENF passa por sua pior crise financeira, o aumento do conceito de cinco de seus 14 Programas de Pós-Graduação, pela Capes, mostra que a Universidade continua firme em sua trajetória de crescimento, independentemente dos percalços. O resultado da avaliação quadrienal da Capes, divulgado na última terça-feira, 19/09/17, foi recebido pelos coordenadores dos Programas e pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação com sabor de vitória.

— A nota é reflexo da qualidade da educação que é oferecida pela UENF e reforça nosso discurso de necessidade de investimentos na Universidade pública, principalmente no Estado do Rio de Janeiro neste momento crítico — diz a professora Ângela Pierre Vitória, da coordenação do Programa de Ecologia e Recursos Naturais, do Centro de Biociências e Biotecnologia (CBB), que, ao alcançar a nota 6, passa a considerado pela Capes de excelência internacional.

Agora, são dois Programas de Pós-Graduação da UENF considerados de nível internacional. Na última avaliação da Capes, em 2013, o Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento de Plantas do Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias (CCTA) também obteve nota 6. Ao alcançar este patamar, os programas passam a ser geridos pelo Programa de Excelência Acadêmica da Capes (ProEx), que dá autonomia financeira aos coordenadores para gerenciar bolsas, recursos de custeio e verbas para manutenção de equipamentos.

— A avaliação de hoje diz respeito ao quadriênio 2013-2016, mas o trabalho de conquista desta nota é muito anterior a isto. O Programa de Ecologia e Recursos Naturais foi criado com conceito 4 em 2004, conquistou o conceito 5 na última avaliação da Capes e agora obtivemos o conceito 6. Assim, todos os alunos, professores e técnicos que estão lá e já estiveram envolvidos no Programa contribuíram para que hoje tivéssemos condições estruturais e acadêmicas para alcançar este conceito 0151 — acrescenta a professora Ângela.

Feliz com a nota 5 obtida pelo Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais do Centro de Ciências do Homem (CCH), a professora Paula Mousinho credita o bom resultado a um esforço coletivo de toda a equipe — corpo docente e discente, secretaria e direção do Centro —, “que vem conseguindo enfrentar e superar, com muita altivez, o cenário de catástrofe e humilhação que o Governo do Estado impinge à UENF há dois anos”.

— O aumento do nosso conceito nos deixa muito felizes, mas também conscientes de que o desafio agora é ainda maior: atingirmos a nota 6 na próxima avaliação quadrienal, o que nos permitirá o acesso aos recursos do Proex/Capes — afirma.

Outro Programa cujo conceito aumentou foi o de Pós-Graduação em Sociologia Política, que subiu de 3 para 4. Sua coordenadora, a professora Wânia Mesquita, atribui o resultado ao esforço e dedicação do coletivo do Programa, bem como à coordenadora da Área de Sociologia da Capes, professora Celi Scalon, e aos demais membros do Comitê, que foram fundamentais para o processo de reestruturação do Programa. Ela destaca ainda o apoio dos ex-pró-reitores Antônio Teixeira do Amaral Júnior e Carlos Maurício Fontes Vieira, bem como da atual pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Rosana Rodrigues, e toda sua equipe.

— Também destaco o papel dos companheiros da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação e demais setores da UENF, que apoiaram e foram decisivos nesta trajetória de superação dos desafios e dificuldades enfrentados, especialmente na implementação das mudanças fundamentais, mas necessárias para alcançar este resultado num contexto de muitas dificuldades institucionais da UENF, apresentadas pela crise do Estado do Rio de Janeiro — afirma.

 

Volta por cima

Chegar à nota 5, para o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Cognição e Linguagem, Carlos Henrique Medeiros de Souza, tem um sabor especial. Isto porque, na avaliação de 2010 da Capes, o Programa ficou com a nota 3. Ele lembra que, num esforço coletivo, o PPGCL decidiu, na época, reformular toda a sua política de gestão, reorganizar o status dos professores e estimular os alunos a se comprometerem a desenvolver pesquisa de qualidade para buscar o conceito 4.

— Em 2013 protocolamos o pedido de credenciamento do doutorado, quando em dezembro recebemos a boa notícia da aprovação e elevação de nosso conceito para 4. Neste momento, nossa conquista já era incrível, contrariando muitos colegas céticos, para não falar nos que se posicionaram contra — afirma Carlos Henrique.

Carlos Henrique destaca ainda o decisivo papel do ex-pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Antônio Teixeira do Amaral Júnior, no apoio à tramitação em tempo recorde do projeto do novo doutorado em todos os colegiados da UENF, permitindo, desta forma, que o pedido fosse protocolado junto à Capes.

— Este fato inclusive estimulou outro Programa do CCH a buscar também o doutorado. Agora em 2017, depois de muito esforço coletivo, aumento da produção dos alunos junto aos docentes orientadores, que compreenderam muito bem a necessidade de trabalhar mais efetivamente em regime de parceria e coautoria, veio a tão desejada nota 5 — ressalta o professor.

 

Exigências que deram certo

Situado no campus da UENF em Macaé, o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Reservatório e de Produção também teve seu conceito aumentado, de 3 para 4, na avaliação da Capes. Para o coordenador do programa, professor Viatcheslav Ivanovich Priimenko, o bom resultado é consequência de uma conjugação de fatores.

— De forma geral, temos um Programa com excelente infraestrutura, sólida relação com o setor produtivo, estrutura de disciplinas bem estabelecida e penetração nacional representada pela diversidade da origem dos nossos estudantes. No último quadriênio, estivemos empenhados em consolidar a produção intelectual adotando ações que exigiam a submissão de artigos vinculados às teses/dissertações — diz o professor.

Dentre as ações adotadas pelo Programa, está a exigência de que o aluno de mestrado comprove submissão de um artigo completo até a entrega da versão final de sua dissertação de mestrado. Já no caso de aluno de doutorado, é necessária a submissão de um artigo completo para se submeter à defesa de tese. Além disso, a classificação Qualis da Capes é utilizada para aferir a qualidade do periódico, sendo necessário que seja equivalente a B1, A2 ou A1.

— Além disso, devido à vocação de relação com o setor produtivo, patentes e softwares foram gerados por nossos docentes. Podemos citar, por exemplo, o registro de depósito do pedido de patente no INPI 2015, do produto referente a um “fluido de perfuração aquoso base glicerina na construção de poços de petróleo e gás”. E ainda o desenvolvimento de um novo aplicativoopensource “GRIPy – para caracterização 1D de reservatórios por meio da análise integrada de dados de testemunho, perfis de poço e sísmicos e de melhoria na qualidade de dados sísmicos — informa Priimenko.

O professor destaca o desempenho e a dedicação da professora Roseane M. Misságia, como coordenadora do Programa nos últimos seis anos, e da secretária do Programa, Verlaine de Oliveira, além do importante apoio dos pró-reitores de Pesquisa e Pós-Graduação da UENF, Rosana Rodrigues (atual gestão) e Antônio Teixeira do Amaral Júnior (gestão anterior).

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Gerência de Comunicação (ASCOM)
Av. Alberto Lamego, 2.000 – Parque Califórnia – Campos (RJ)
Telefones: Ascom: (22) 2739-7815 / 2739-7813
Reitoria: (22) 2739-7003
Email: uenf@uenf.br
Gerente de Comunicação: Marco Antônio Moreira