05/07/13

Informativo da UENF

Campos dos Goytacazes, sexta-feira, 05 de julho de 2013 – Nº 3.166

UENF vai ensinar detentos a produzir peixes

Manuel Vazquez2

O professor Manuel Vazquez (à esquerda) representou o reitor da UENF, Silvério de Paiva Freitas, na assinatura do acordo

Acordo de cooperação técnica foi assinado na última quarta, no Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA)

A UENF vai treinar e capacitar detentos do Complexo Bangu para trabalhar, a partir do ano que vem, na produção de peixes ornamentais. Um acordo de cooperação técnica para viabilizar a iniciativa foi assinado na última quarta-feira, 03/07, no Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), em Brasília. Assinaram o documento o ministro Marcelo Crivella; o subsecretário Geral de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro, Antônio Camilo Branco de Faria; e o professor da UENF Manuel Vazquez Vidal Júnior, especialista em peixes ornamentais, que representou o reitor Silvério de Paiva Freitas.

Os cursos, que serão ministrados por professores e alunos da UENF, terão a duração de seis a 12 meses e irão formar aproximadamente 60 pessoas por ano em cada presídio. Inicialmente, serão instaladas quatro unidades de produção comercial de peixes ornamentais, uma em cada penitenciária de Bangu — sendo três em presídios masculinos e uma em presídio feminino. Segundo Vazquez, que vai coordenar as atividades, cada presídio vai produzir de duas a três espécies diferentes de peixes ornamentais nos sistemas intensivo (ambiente controlado) e semi-intensivo (ambiente aberto). Os tanques ocuparão áreas de 100 a 150 metros quadrados. Segundo o professor, o objetivo é resgatar a cidadania dos presidiários, bem como estimular o empreendedorismo.

— Ao saírem dali eles estarão qualificados para trabalhar nos mais de seis mil estabelecimentos de produção de peixes ornamentais existentes no país, bem como em lojas que comercializam o produto. Além disso, poderão se tornar multiplicadores destes conhecimentos dentro dos presídios — explica Vazquez, informando que, em um segundo momento, a atividade poderá ser introduzida também nos presídios do Norte/Noroeste Fluminense, onde já existe o interesse.

Segundo o acordo de cooperação técnica, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) deverá disponibilizar as áreas onde serão implantadas as unidades demonstrativas de piscicultura. Em conjunto com a UENF, o Ministério da Pesca e Aquicultura vai elaborar projetos técnicos destinados ao aprimoramento da atividade. Os presos que participarem do projeto serão beneficiados com redução da pena. A lei estabelece que, para cada três dias de trabalho, haja a diminuição de um dia da pena prevista.

A primeira iniciativa do gênero no Brasil ocorreu na penitenciária Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Uma parceria entre a Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura em Minas Gerais (SFPA-MG), a Secretaria Estadual de Defesa Social (SEDS) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) tem promovido a capacitação técnica dos detentos para a produção de peixe.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

 Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Diretoria de Informação e Comunicação (DIC) / Gerência de Comunicação (ASCOM)
Av. Alberto Lamego, 2.000 – Parque Califórnia – Campos (RJ)
Telefones: Ascom:  (22) 2739-7119 /8841-2139
Reitoria: (22) 2739-7003
Disque-Uenf:  0800 025 2004 (ligação gratuita)
Jornalistas: Gustavo Smiderle e Fulvia D’Alessandri
Publicitário: Felipe Moussallem
Estagiárias de Jornalismo: Letícia Barroso, Rebeca Picanço e Thaís Peixoto
E-mail: uenf@uenf.br