Intranet Uenf Retorna a página principal da UENF Acesso ao Webmail da UENF

Tipos de Bolsas de Estudos

A UENF, desde sua criação, se destaca dentre as Universidades Públicas que mais oferecem bolsas de estudos a alunos de graduação.

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). A UENF possui mais de 250 bolsas do PIBIC pagas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pelo Governo do Estado do RJ.

Bolsas de Apoio Acadêmico. Para a execução de tarefas de ordem geral, sob a coordenação de um professor, são concedidas bolsas de apoio acadêmico a estudantes de graduação que necessitam auxílio financeiro.

Bolsas de Extensão.  A UENF dispõe de 2 modalidades de bolsas de extensão, sendo
uma para alunos de graduação. Este programa apoia projetos de integração da Universidade com a comunidade, em prol do desenvolvimento regional e do bem estar social.

Bolsas de Monitoria. Monitores são alunos que após serem aprovados em concursos nos laboratórios, recebem bolsas para auxiliarem nas atividades letivas e aos colegas em seu aprendizado

Programa Jovens Talentos II. Alunos que ingressam nos cursos de graduação pelo Sistema de Cotas, podem receber bolsa já a partir do primeiro período, paga pelo Estado, via FAPERJ (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo a Pesquisa)

 

ATENÇÃO!

Há sempre a possibilidade de atuação na pesquisa e laboratórios, mesmo não sendo bolsistas PIBIC. Bolsistas de extensão, monitoria ou mesmo não bolsistas e estagiários podem desenvolver projetos conjuntos com os professores, de pesquisa ou extensão, monografias e tudo mais! Da mesma forma, bolsistas PIBIC podem ser monitores voluntários em disciplinas da graduação ou participarem de projetos de extensão como voluntários e receberem certificados da Prograd e Proex, respectivamente!

Ainda, monitores, bolsistas ou voluntários, cadastrados na Prograd, poderão requerer matrícula em disciplina de monitoria ou monitoria voluntária, respectivamente, que serão incluídas no histórico escolar como eletivas para Agronomia, já a partir de 2010. Durante a graduação, todos devem investir em si mesmos e rechear os currículos com o máximo de atividades formativas!